quarta-feira, 4 de junho de 2008

Com amor e com afeto - especial Dia dos Namorados

O Cacimba de Letras organizou uma série de dicas e matérias para adoçar e temperar este mês dos namorados. Vale a pena dar uma espadinha nos posts que seguem até o dia 12, por mais clichê que a data pareça. Porque, como diria Fernando Pessoa, “Todas as cartas de amor são ridículas. Não seriam cartas de amor se não fossem ridículas. (...) Mas, afinal, só as criaturas que nunca escreveram cartas de amor é que são ridículas”. Então, aí vai um empurrãozinho para quem deseja agradar a paixão, mesmo que não seja com as "ridículas" cartas de amor.
.
Olha a temperartura
Por Eliza Brito
Imagens: Cacimba de Letras

As ervas sempre fizeram parte do imaginário e do empirismo humano. Um tratado médico de 3.700 ac., escrito pelo imperador chinês Shen Wung, prova a importância que essas plantas têm para a História. Na Mesopotâmia, por exemplo, os sumérios possuíam receitas tão preciosas que somente os sacerdotes e feiticeiros as conheciam.

No interior do Nordeste brasileiro, descobrir as utilidades das ervas sempre foi passatempo dos melhores para crianças e adultos. A brincadeira terminou virando coisa séria para o paraibano Rodolfo Vasconcellos, proprietário do bar Farândola, em Olinda.

Hoje, quem estiver buscando uma apimentada no relacionamento não precisa gastar mais que R$ 2. A cachaça “Pau do índio Tarado”, que une o poder das sete ervas afrodisíacas, ajuda a elevar os ponteiros do termômetro. Para os menos necessitados, vale experimentar as cachaças com apenas uma das plantas “milagrosas”, que são a marabuana, o picão, o cipó de vaqueiro, a esquentaí, o cordão de velho, a catuaba ou a jurema branca. Rodolfo garante que não há presente melhor que uma dessas cachaças para os apaixonados.

Os solteiros não precisam morrer de inveja! O Farândola oferece outras 23 opções de cachaças. A de mel, por exemplo, pode não ser afrodisíaca, mas adoça qualquer amargura.

Serviço
Av. Olinda, 340 A - Olinda
Fones: (81) 3493.3919 ou 9129.8625

3 comentários:

Breno disse...

Farândola: não acho tendência.

Sam disse...

jamais dou uma cachaça dessa pra ivan.. pq ou ele vai dormir bebo quando chegar em casa ou já já vcs ganham outro sobrinho.
:)

PS: mais dicas, por favor!

Anônimo disse...

Obrigado por intiresnuyu iformatsiyu