segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Um pouco do Sertão no Mercado da Madalena

Por Lucas Lima
Imagens: Cacimba de Letras

Por vezes, me sinto meio sem raízes. Moro em Recife, mas não sou daqui. Mal tenho laços afetivos como minha terra natal, e acredito poder estar em qualquer lugar sem problemas – a não ser a falta dos meus. Por isso, fico com um grande sorriso nos lábios ao ver alguém falar com certo entusiasmo de suas raízes. E assim foi no último sábado, ao conhecer Neurides Ferraz, uma das proprietárias do box Sertanejo, no Mercado da Madalena.

Neurides é de Serra Talhada e veio para o Recife em busca de oportunidades. Graduada em Turismo, trabalhou no Bandepe e, em 1999, tempo no qual a tal da globalização não saia da boca de todos, decidiu abrir o Sertanejo, para manter vivas tradições do Sertão pernambucano. Tradições que vão desde os alimentos só encontrados com facilidade na região até a cultura dos cantadores e escritores populares.

A primeira coisa que reparei no box foi a estante com uma diversidade significativa de cachaças, vindas do Sertão pernambucano, Brejo da Paraíba e de Minas Gerais. De Triunfo, a Triumpho [foto 1]. Há outra com a grafia original da cidade, produzida na Paraíba. Interessante também a Talante, encontrada nos sabores coco e banana.

Na parte de alimentos, o arroz da terra, vermelho, como quem acaba de sair da palha prontinho para chegar à panela. De São José do Egito vem a farinha de milho, e de Trinfuo o feijão fogo na serra. Na parte de doces [foto 2], rapadura, natural ou batida, e alfenim. Se a procura é por mel, variedade não falta. A baba de moça, doce de coco verde, não pode faltar nunca. E, para os que querem fibra, a pedida é o doce de cafofa [feito a partir da raiz do umbuzeiro].

O queijo manteiga raspa de tacho, do vizinho Rio Grande do Norte, também tem saída garantida. Além disso, pimenta, leite de cabra, biscoitos garra... Há também livros e CDs de escritores da terra e muito cordel. Aliás, todo o sábado à tarde, os participantes da União dos Cordelistas de Pernambuco batem ponto por lá para fazer recital de poesia. Aí é que fica bom mesmo!

Serviço
Rua Real da Torre, S/N, box 14 e 15, Madalena - Recife
Fone: (81) 3446.8596

Um comentário:

Sam disse...

queria queijo de manteiga com mel de engenho.. isso é uma covardia sem tamanho! Ainda bem, que pelo menos, tem tem aqui aquela foto clássica do queijo derretidinho com o mel caindo em cima dele! humpf.. só vcs me dão vontade de comer.

=*