quarta-feira, 25 de junho de 2008

Meca gastronômica

Por Eliza Brito
Imagens: Cacimba de Letras

Quando cheguei em Segovia, na Espanha, senti como se estivesse no interior dos meus avós, no Rio Grande do Norte, no meio do nada, perdida nesse planeta. Só quando coloquei os pés na capital espanhola é que tive a noção de estar no mundo, conectada com tudo. São Paulo é uma cidade assim, conectada com tudo. Tem opções para todas as tribos, alternativas para todos os gostos, e em relação a gastronomia essa verdade é simplesmente absoluta.

Deu vontade de comer tanajura? São Paulo tem! Deu vontade de se empanturrar de pão com ovo? São Paulo tem! Deu vontade de saborear comida árabe, italiana, francesa, mediterrânea, contemporânea ou o que quer que seja? São Paulo tem! Voltei da lá jurando que minha próxima ida à capital econômica e cultural do Brasil será apenas para o turismo gastronômico. Amém! Dessa vez, contudo, meu tour da comilança se resumiu ao incomparável Mercado Municipal, no centro, e a Cantina Roperto, no bairro do Bexiga.

Todo pernambucano que se preze sabe que para conhecer o ritmo de uma cidade é imprescindível uma visitinha ao Mercado mais tradicional do lugar, então lá vamos nós ao famoso Mercadão, o Mercado Municipal [foto1]. Sabe aqueles queijos caríssimos, aqueles azeites maravilhosos e aquelas trufas de chocolate que derretem os olhos antes de mesmo de se derreter na boca? No Mercadão tudo isso é organizado perto de embutidos ainda mais tentadores e frutas frescas e coloridas. Deu vontade de comer por lá? Não perca a oportunidade de provar algum dos vários tipos de sanduíches de mortadela que existem no local. O Brazuca [foto2], versão que conquistou o Brasil Sabor de 2006, vem com 300g de mortadela, queijo cheddar, bacon e alface, e alimenta duas pessoas por R$ 14. Outra opção mais do que tentadora é o pastel de bacalhau, que desmancha na boca e dá aquele gostinho de quero mais. De sobremesa, que tal pesar uns pinguinhos de chocolate com amêndoas, castanha, biscoito e amarula em uma das várias barraquinhas do Mercado? A satisfação é garantida!

Para comer à noite a dificuldade é escolher o local, porque se a pedida for massa, por exemplo, restaurantes maravilhosos não faltam no Bexiga, em Pinheiros, ou até mesmo nos Jardins. Como os imigrantes italianos escolheram o Bexiga para se fixarem, fui conferir os restaurantes de lá. O Roperto [foto3], a típica cantina italiana, com música ao vivo e uma variada carta de pastas e vinhos, foi uma escolha no mínimo sábia. O talharim a romanesca [foto4] alimenta bem duas pessoas e custa R$ 44, e se for acompanhado por um vinho tinto da uva cabernet sauvignon pode causar delírios de tão saboroso. O jantar foi daqueles em que tudo dá certo, simplesmente perfeito!

Agora eu só preciso juntar dinheiro para realizar o sonho do turismo gastronômico pela Meca dos sabores que é São Paulo, e quando isso acontecer, não se preocupem, o Cacimba trará todos os detalhes da fartura de aromas, sabores e prazeres. É só esperar!

2 comentários:

Deinha disse...

Tá mesmo muito chique essa menina, planejando até turismo gastrônomico pra deixar a gente aqui com aquela água na boca.

Anônimo disse...

Minha princesa...aqui estou eu, não na meca gastronômica, mas na charmosa Florianópolis, que se não oferece a variedade de opções de uma São Paulo, no quesito frutos do mar não deixa nada a desejar! Hoje a noite fomos a um dos restaurante na Lagoa da Conceição e saboreamos uma "sequência de camarão". Uma delícia! Estou com saudades. Beijosssssss